Operação Sinal Fechado: Marido de Rosalba, suplente de Agripino e mais dois viram réus

Por William Medeiros.

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou à Justiça Federal do RN os envolvidos em parte do esquema de corrupção e lavagem de dinheiro alvos da operação Sinal Fechado. Os réus denunciados seriam os “não detentores de foro”. O objetivo de seus atos era manter um contrato de inspeção veicular ambiental no estado que seria obtido irregularmente através de licitação fraudada.

A denúncia foi acatada e os réus são: o suplente do senador José Agripino, José Bezerra de Araújo Júnior (o “Ximbica”); o marido da prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini, Carlos Augusto Rosado; o assessor parlamentar do ex-senador João Faustino, Antônio Marcos de Souza Lima; e o empresário George Anderson Olímpio da Silveira, este último tem colaborado com as investigações. As investigações apontam que, em 2010, Agripino, Carlos Augusto e sua esposa Rosalba, teriam recebudo R$1,5 milhão de Georgr Olímpio para assegurar a manutenção do contrato de inspeção veicular celebrado entre o consórcio Inspar e o Estado.

Foto: reprodução.

0 comments on “Operação Sinal Fechado: Marido de Rosalba, suplente de Agripino e mais dois viram réusAdd yours →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *